top of page

O que as chuvas na Bahia e na Chapada dos Veadeiros tem a ver com os investimentos de impacto?

Entra ano e sai ano e, sempre na mesma época, desastres ambientais provocados por intempéries acontecem. Chuvas fortes fazem desmoronar encostas, alagam cidades inteiras, deixam ilhadas outras, causando todo tipo de desproteção. Famílias ficam desabrigadas, sem comida e mantimentos de primeira necessidade.


E a ladainha parece ser sempre a mesma, a sociedade civil se mobiliza para arrecadar doações, a defesa civil e assistência social atendem as pessoas desabrigadas, há o adiantamento de benefícios de assistência social para aqueles que têm direito e nada muito estrutural é feito para que no ano seguinte o mesmo não aconteça.


Se essa situação já era insuficiente em tempos de aparente normalidade climática, com a perspectiva do aquecimento global fica ainda pior. Eventos extremos como esses tenderão a ser a cada vez mais frequentes e impactarão cada vez mais pessoas. Mas certamente afetarão mais quem já está em situação de maior vulnerabilidade social: população negra, povos indígenas, comunidades tradicionais que moram mais perto das margens de rios, em locais onde a infraestrutura de escoamento de águas pluviais não é bem-feita ou em encostas de morros. É o que chamam de racismo ambiental.


Se são as populações mais vulneráveis as mais sujeitas aos riscos ambientais, são também as menos cobertas por instrumentos que buscam compensar alguma perda. Em vez de seguros recorrem à defesa civil e à assistência social que dá suporte imediato. A assistência social, muitas vezes vista como gasto público é quem tem condições de amparar as pessoas desabrigadas. Mas, sem o investimento necessário, nem sempre consegue fazer isso da maneira ágil, protegendo a população de situações como fome e indigência.


A sociedade civil, se em períodos de "normalidade" é vista como desnecessária, ou até mesmo inconveniente quando mais combativa, nesses momentos é clamada a se mobilizar para arrecadar mantimentos para as pessoas desabrigadas. Afinal, sem os recursos e a agilidade necessária para atender todas as famílias prejudicadas, toda ajuda é bem-vinda.


Já o mercado, muitas vezes responsável por iniciativas que assoreiam os rios, tornam o solo menos permeável, provocam erosões, poluem, em geral, não são lembrados nesse momento. A discussão sobre porque chegamos a esse ponto, porque nossas cidades estão cada vez mais vulneráveis às intempéries e por que as intempéries estão cada vez mais fortes fica restrita a círculos de especialistas e ativistas socioambientais com pouco poder político. Não se pensa o papel do modelo econômico em que vivemos e nem sequer se o mercado precisa agir de outra forma para evitar mais situações como essas.


No âmbito do mercado, os investimentos e negócios de impacto se propõem a fazer essa reflexão. Buscam pautar que as empresas não devem apenas produzir lucro e retorno financeiro para seus investidores, mas também gerar impacto socioambiental positivo. Afinal, se até hoje, muitas vezes, foram parte do problema, agora precisam ser também parte da solução.


É nesse momento que precisamos nos repensar como sociedade. Repensar o papel do Estado como garantidor de proteções e direitos e regulador do mercado; o da sociedade civil como fórum de elaboração de propostas e projetos de futuro; e do mercado, como promotor do desenvolvimento econômico e da produção de bens e serviços que atendam às necessidades da população.


Enquanto fazemos isso, juntemo-nos às pessoas que doam, porque apesar de doações serem insuficientes e não resolverem o problema, elas ainda são necessárias. São várias as iniciativas que estão arrecadando dinheiro e mantimentos e que precisam da nossa ajuda. E enquanto ajudamos, reivindiquemos por mudanças estruturais!


Seguem abaixo algumas formas de doar para organizações que apoiam as famílias desabrigadas:


Associação Quilombo Kalunga - PIX: 04075938000121

GAP - Grupo de Amigos da Praia PIX : 330137950001-21

O MUPOIBA e Federação Indígena das Nações Pataxó e Tupinambá do Extremo Sul da Bahia – FINPAT - (Associação Nacional de Ação Indigenista) - PIX 13100342000125

Governo da Bahia - PIX: CNPJ da Sudec – Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado: 13.420.302/0001-60

Município de Amargosa - Fundo Municipal de Assistência Social - PIX : CNPJ: 14.785.741/0001-30 Município de Angical - Conta da Defesa Civil PIX: gabinete@angical.ba.gov.br

Município de Belo Campo - FMA Social Doações - PIX: CNPJ: 18.344.320/0001-24 Município de Coaraci - PIX: CNPJ 11.509.581/0001-08

Município de Guarantinga - PIX: CNPJ 13.634.985/0001-59 Município de Ibicaraí - PIX: CPF – 00425241564 – Odemir Silva Ceo (Secretário de Finanças e Planejamento)

Município de Ilhéus - Pix: CNPJ 13.672.597/0001-62

Município de Itabuna - PIX: defesacivil@itabuna.ba.gov.br ou CNPJ: 14.147.490/0001-68

Município de Itambé - PIX: prefeitura@itambe.ba.gov.br Município de Itororó - Pix: 13.752.993/001-08

Município de Jequié - Fundo Municipal de Assistência Social Jequié Banco do Brasil / Agência: 0060-4 / Conta: 56412-5 / CNPJ 18.250.800/0001-26

Município de Jiquiriçá - Fundo Municipal de Assistência Social – Jiquiriçá - Pix: 14.923.893/0001-51

Município de Jitaúna - Fundo Municipal de Assistência Social Jitaúna - Pix: 18.183.322/0001-89

Município de Jucuruçu - Fundo Municipal de Assistência Social - PIX: 18705821000199

Município de Laje - Prefeitura Municipal de Laje - PIX: 20664206/0001-23 (CNPJ)

Município de Medeiros Neto - Coordenação Municipal de Proteção e Defesa Civil – Prefeitura Medeiros Neto - PIX CNPJ 19.750.233/0001-30

Município de Prado - CNPJ 13761713/0001-10 - Banco do Brasil - Agência 1118-5 - Conta corrente 23883-X

Município de Santa Cruz da Vitória - Pix CNPJ 14.147.912/0001-13

Município de Santa Inês - Secretaria de Desenvolvimento Social - PIX: 19.115.634/0001-18

Município de Teolândia PIX: 14196042/0001-54 Banco do Brasil Ag: 2783-9 Conta: 13546-1

Município de Ubaíra - Fundo Municipal de Assistência Social de Ubaíra - PIX: 97.527.945/0001-06

Município de Uruçuca - Fundo Municipal de Assistência Social - PIX: CNPJ 21137779/0001-61

Município de Vitória da Conquista - PMVC DOAÇÕES - PIX: 14.239.578/0001-00


Comments


bottom of page